fbpx

MODELOS DE REDES

Pesquisa feita para aprender sobre as redes de computadores e seus modelos. Achei um artigo mostrando a classificação das  redes baseadas na arquitetura no blog rede lan, com essas classificações busquei imagens referentes a elas, e em um blog tiinside encontrei algumas tendências das redes, mas o que mais me chamou atenção foi o 5G, que é uma realidade sua chegada e o restante são variantes para o 5G funcionar.

ARCNET

modelo de rede

Arcnet é um acrônimo do inglês Attached Resource Computer Network, ou Rede de Recursos Anexados. É uma arquitetura utilizada nos anos 70 e é considerada a pioneira das arquiteturas.

ATM

Vem do inglês Asynchronous Transfer Mode, ou Modo de Transferência Não Sincronizado. Como o nome diz, é muito utilizado para envio de dados que não necessitam de sincronia, mas que precisam de uma conexão de alta velocidade, como dados de voz (VOIP), áudio ou vídeo. Por não ser necessário sincronia, acabam ocorrendo muitas perdas, mas que não se tornam relevantes, tendo em vista o tipo de informação transmitido.

FDDI

Vem do inglês Fiber Distributed Data Interface, que significa Interface de Distribuição de Dados por Fibra e basicamente é a tecnologia transmitida por cabos de fibra óptica.

X.25

É considerado o precursor do Frame Relay. As redes que se utilizam do protocolo X.25 operam com comutação (troca) de pacotes orientados a bits. A transmissão dos dados ocorre entre um terminal cliente (DTE) e um equipamento de rede (DCE).

Aqui no Brasil, as redes X.25 eram utilizadas, principalmente, pelas companhias de telefonia.

FRAME RELAY

Redes baseadas em Frame Relay possuem tecnologia de comunicação de dados com alta velocidade. Essa tecnologia fornece um meio de transmissão de informações, através de uma rede de dados, separando a informação em quadros ou pacotes.

Cada quadro carrega o endereço de destino que é lido pelos equipamentos de rede para que o pacote siga corretamente o seu caminho.

Além disso, utiliza uma forma simplificada de chaveamento dos pacotes, apropriada para as estações de trabalho e servidores de alto desempenho que operam com protocolos inteligentes, como o SNA e o TCP/IP.

ISDN

É o acrônimo para Integrated Services Digital Network e signifca Rede Digital de Serviços Integrados. É utilizado em centrais telefônicas digitais, com acesso à internet e baseia-se na comutação dos pacotes através de multiplexagem por cabos de par trançado.

DSL

Sigla em inglês para Digital Subscriber Line, que significa Linha de Assinador Digital. É uma tecnologia de comunicação de dados que permite uma transmissão mais rápida através da linha telefônica, com a ajuda de um modem (modulador – demodulador).

ETHERNET

Cadastrado no IEEE com o número 802.3, é o padrão mais utilizado em redes locais cabeadas. Sua tecnologia baseia-se no envio de pacotes por meio de cabos de par trançado, ou seja, pela camada física. Seu nome faz referência ao éter luminífero, meio no qual os físicos do século passado imaginavam que a luz viajasse.

TOKEN RING

Utilizam uma topologia lógica em anel. Semelhante à topologia 10BaseT, utiliza hubs inteligentes com 8 portas em cada. Para que seja utilizada a topologia Token Ring, é necessário que as placas de rede, hubs e até os conectores dos cabos sejam compatíveis com a tecnologia.

5G

Os provedores introspectivos sobre o estado de suas redes e como incorporar a vasta quantidade de novos equipamentos necessários para oferecer suporte ao 5G. O cumprimento desses serviços necessita de uma automação inteligente. Particularmente, a automação em loop fechado requer a avaliação da integridade e desempenho das redes em tempo real. Ele identifica e corrige problemas automaticamente, uma vez que um erro em uma parte da rede pode afetar a conformidade com os SLAs estritos. A habilidade de detectar e corrigir problemas proativamente é bem-vinda em um ambiente cada vez mais complexo. Os provedores de rede estão transformando a maneira como constroem, operam e conectam redes em seus negócios.

marcus rolim

Marcus Rolim

Relatório do assunto abordado em aula na matéria de sistemas distribuídos, do 5º semestre de ciência da computação.